Advertisements

Final da temporada de 2018 e começo de 2019 pegando fogo

(Foto: Rubens Chiri/ saopaulofc.net)

Fala Nação Tricolor, tudo em cima?

Nessa semana falarei como foi a temporada de 2018 para o São Paulo e como começará 2019. Mas antes de falar sobre isso, deixo aqui o meu agradecimento aos heróis do título mundial de 2005 que hoje completa 13 anos.

O time não começou a temporada de maneira muito boa, já que o time ainda comandado por Dorival Jr, perdeu logo na primeira semana dois dos seus principais jogadores de 2017, Lucas Pratto e Hernanes, o atacante Argentino foi vendido ao River por R$ 44,4 milhões, já o meia foi chamado de volta pelo Hebei China Fortune. Na contramão a diretoria trouxe Diego Souza, Jean e Anderson Martins.O time estreou no Paulista com derrota por 2×0 para o São Bento em Sorocaba.

O time ganhou apenas um nos primeiros quatros jogos do ano. Depois disso chegaram Nenê, Tréllez e Valdivia. O time até apresentou melhoras, passou por duas fases da Copa do Brasil, mas o mal desempenho no Paulista, principalmente nos clássicos, fizeram com que Dorival fosse demitido. Para seu lugar chegou Diego Aguirre. Antes de Aguirre assumir o comando do time, Jardine comandou o time por duas vezes, com duas vitórias, 3×1 para cima do RB Brasil no Paulista e 3×0 no CRB pela Copa do Brasil. Jardine se tornaria auxiliar de Aguirre depois disso.

Aguirre estreou com derrota para São Caetano por 1×0 na partida de ida das quartas de finais do Paulista. Resultado que depois seria revertido no Morumbi, porem o time caiu na semi para o rival Corinthians. Na Copa do Brasil Aguirre comandou o time em dois jogos, uma derrota e um empate contra o Atlético Paranaense (naquela época não tinha o H) primeiro perdeu por 2×1 em Curitiba, depois empatou por 2×2 no Morumbi, chegando a abrir 2×0 no placar, sendo eliminado da competição.

Chegou o Brasileiro e com ele o reforço do atacante Everton que foi contratado junto ao Flamengo. O time se manteve invicto por oito rodadas até perder para o rival Palmeiras. Nesse meio tempo o time se eliminou o Rosario Central na Copa Sul-Americana. Ainda bateu as expectativas no começo do campeonato e foi para a parada para a Copa em terceiro lugar no Brasileiro, quatros pontos atrás do então líder Flamengo.

Na volta da Copa o time contou com dois reforços, Rojas e Bruno Peres, e vendeu o meia Peruano Cueva. Nas ultimas 7 rodadas do primeiro turno o time emplacou 6 vitórias, chegando a liderança do campeonato e vencendo o primeiro turno. Mas foi eliminado pelo Colón na segunda fase da Sul-Americana.

No segundo turno as coisas começaram a desandar, Militão saiu, Everton machucou e o time caiu muito de rendimento. Com isso a pressão voltou, o time perdeu a liderança, saiu do G4 e Aguirre foi demitido. Jardine assumia novamente como auxiliar para treinar o time para as cinco últimas partidas e com a missão de recolocar o time entre os quatro primeiros. Missão que não foi cumprida.

O time encerrou a temporada de 2018 com 64 jogos, sendo 29v, 19e 16d. Marcou 73 gols e sofreu 53, além de terminar em quinto lugar no Campeonato Brasileiro.

Se olharmos para os mata mata, a temporada não foi boa, já que o time novamente não conseguiu ir muito longe nas competições e chegou a décima oitava eliminação seguida em mata mata. No Brasileiro, claro que houve uma grande decepção na colocação do time, já que chegou a mostrar um bom futebol e liderar o campeonato, mas se olharmos para o começo da temporada o quinto lugar acabou de bom tamanho.

Para 2019 o time já se prepara para a Libertadores. O Tricolor entra na segunda fase antes da fase de grupos e enfrenta o Talleres da Argentina, se passar pega Independente Medellin da Colômbia ou Palestino do Chile. Se passar para a fase de grupos o time entrará no famoso grupo da morte com River Plate e Internacional, além do Allianza Lima do Peru.

UM EXCELENTE NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO A TODOS VOCÊS!

Gustavo Dervelan

Advertisements

Deixe uma resposta