Advertisements

Notas – Palmeiras 3×1 São Paulo

Boa noite, Tricolores

Com falhas individuais, São Paulo não quebra o tabu e perde a invencibilidade no Brasileirão pro Palmeiras (Foto: Globoesporte.com)

O São Paulo foi até o Allianz Park na noite deste sábado (26) para enfrentar o Palmeiras no choque-rei, e tentar por fim no incômodo tabu de que não vence lá desde que a arena foi inaugurada. Pois bem, o time fez um primeiro tempo muito bom, partindo pra cima em contra-ataques e dominando a equipe Palmeirense, aos 29′ Reinaldo cobra o lateral para a área, Edu Dracena recua mal pra Jaílson e Marcos Guilherme que estava acompanhando a jogada acredita até o fim, a bola não toca nele, mas serviu para que atrapalhasse Jaílson, e a bola morreu no fundo das redes, com o placar aberto à favor do São Paulo, que só administrou até o fim do primeiro tempo.

Já na segunda etapa, a equipe do Morumbi parecia outra em campo, desatenta, começou a tomar bolas no costado da zaga em quase todos os lances, principalmente pelo lado esquerdo, logo aos 9′ Keno recebe passe de Moisés pela direita, cruza rasteiro, Sidão falha na espalmada que sobra nos pés de Willian mandar pro gol e empatar a partida. O segundo gol do Palmeiras veio aos 21 minutos, onde Hyoran ganha de Militão pelo alto e a bola sobra para Willian mandar uma balaço de primeira no ângulo de Sidão e virar o jogo.  Não restava outra coisa pro Tricolor a não ser ir pro ataque em busca do empate, e numa dessas, ou contra-ataque e outra vez pela esquerda, e outra vez com Moisés iniciando os trabalhos lançando Hyoran, que cruza e Dudu de peixinho manda pro gol, contando com a colaboração de Sidão novamente aos 24′ do segundo tempo.

Notas –

Sidão — Falhou no primeiro e no terceiro gol. A primeira bola tranquila para defesa, era só encaixar e não espalmar e ainda mais daquela forma. A segunda, uma cabeçada defensável onde foi com as mãos moles, encolhidas demais. — 3,5

Éder Militão — Fez um bom primeiro tempo, mas no segundo caiu muito de rendimento principalmente na marcação. — 5,0

Bruno Alves — Afobado em algumas jogadas e firme em outras, acabou fazendo faltas desnecessárias em alguns lances. — 5,0

Anderson Martins — Primeiro tempo até bom, deu uma segurada no segundo pelo cartão tomado, mas poderia ter sido mais ligado em certos lances. — 5,0

Reinaldo — Que jogo horrível do lateral, dois dos três gols sofridos foram em suas costas, pelo amor de Deus, que avenida deixada foi aquela? Sem comentários. — 2,0

Hudson — Vinha sendo um dos melhores em campo, boa marcação, chegando firme sem erros idiotas, não estava facilitando a vida dos meias palmeirenses, mas parece ter sentido uma lesão, nenhuma novidade. — 6,0

Jucilei — Também não fez uma má partida, um ou outro erro de passe que não comprometeu, porém na marcação foi até razoável. — 6,0

Marcos Guilherme — Outro que vinha sendo melhor em campo, estava correndo bem, se movimentando, acreditando em cada jogada, inclusive na do gol, finalizou uma vez com grande perigo, mas acabou sumindo no segundo tempo também. — 6,5

Nenê — Vinha fazendo boas partidas, mas na de hoje? Quase não foi visto seu futebol em campo, no segundo tempo parece ter sumido do jogo. Pipocou? — 4,0

Éverton — Fez um bom começo de jogo, mas ainda no primeiro tempo parece ter sentido um desconforto que o limitou no restante da partida. — 5,5

Diego Souza — A bola quase não chegou, apareceu mais vindo buscar a bola no meio e em uma cabeçada que passou perto, no mais, não teve chances para ele. — 5,0

Petros — Não foi a toa que perdeu lugar no time titular, e com razão, meu Deus! Entrou e foi a mesma coisa que nada, não somou, foi triste. Também sem comentários. — 3,0

Liziero — Entrou no jogo e pouco pôde fazer. — Sem nota.

Paulinho — Discordo com sua entrada, nunca havia tido chances, nem em jogos considerados fáceis, e num clássico com o jogo praticamente perdido ele é chamado? É um moleque de talento, ousado, que vai pra cima, um potencial craque, SE bem lapidado, cuidado, e sem ser queimado em situações como esta, se bem que pelo visto não ocorreu, mas é arriscado. Pela ousadia e por ter chamado alguns lances pra ele, terá sua nota. — 6,0

Diego Aguirre — Podia ter substituído melhor para arrumar a draga que foi o time no segundo tempo, ou pelo menos tentar. — 4,5

Bola cheia –

Primeiro tempo — O time se portou bem, dominou o adversário, fez o gol e soube segurar a bola com a vantagem.

Bola murcha –

Sidão — Duas falhas em um clássico é demais, um goleiro não pode contar somente com a sorte como é o caso do nosso, porque quando ela não aparece…

Reinaldo — Também duas falhas, em duas avenidas deixadas pelo lateral, o Palmeiras aproveitou parar fazer seus gols.

Petros — Entrou com um sono inquestionável na partida, uma atuação pior do que a outra, quando tem a oportunidade.

Abraços!

Luan Morais

Advertisements

Deixe uma resposta