Advertisements

Chegou a hora de apostar na base? #CrônicaTricolor

Passadas as comemorações de fim de ano, o futebol brasileiro volta aos poucos ao trabalho e com o nosso tricolor não é diferente, nessa semana tivemos a apresentação do elenco para 2018. Sem muitas novidades vimos o retorno de jogadores que foram importantes em seus clubes, casos como Reinaldo que fez um grande campeonato brasileiro pela Chapecoense, o zagueiro Iago Maidana que fora peça fundamental para o acesso de seu ex-clube (Paraná Clube) a série a, também vimos a chegada do goleiro Jean que fechou o gol do time do Bahia. O que se viu também foi um grande número de jogadores da base surgindo como apostas para o ano, casos como Brenner e Eder Militão que já jogaram pelo profissional e outros nomes como Paulinho Boia e Marquinhos Cipriano, são boas apostas provenientes de Cotia.

Dentre retornos, chegadas e apostas de jovens da base para o ano, o que se nota após a primeira semana de trabalhos, é que Raí e Ricardo Rocha terão um grande desafio pela frente. O ano já começa com possíveis baixas, uma delas que talvez seja a mais significativa para o elenco, deve ser a partida do “Profeta” Hernanes, ele que fora peça fundamental para que o tricolor se mantivesse na série A, partiu para a China para tentar convencer seu atual clube, o Hebei China Fortune, a permitir que possa concluir seu contrato de empréstimo, essa possibilidade de convencimento é baixa, visto que o atleta teve um alto desempenho em seus 5 meses com a camisa tricolor e os chineses podem tanto utiliza-lo em campo, quanto em uma negociação como moeda de troca. Outro caso que pode vir a ser uma baixa no grupo deste ano, é a possível saída de Lucas Pratto, mesmo sem ter um grande desempenho durante 2017, o jogador sofre investidas de alguns clubes e já externou seu desejo de jogar em seu país de origem devido à proximidade da sua família.

Nas redes sociais o torcedor tem demonstrado ansiedade pela chegada de medalhões para o elenco, em entrevista coletiva Raí afirmou que possui negociações adiantadas com Diego Souza do Sport, porém depende da concordância do clube para que o negócio aconteça. O nome de Gustavo Scarpa fora ventilado como possível reforço para o SPFC, mas ao que parece o clube carioca está leiloando o jogador e o SPFC não tem demonstrado muito interesse para bancar os milhões pedidos por este. Durante a coletiva Raí foi categórico ao dizer que trabalha intensamente para construir um elenco forte para este ano, porém com frieza para não realizar contratações questionáveis futuramente.

Ao que tudo indica o ano será mais para apostas em crias da casa e contratações esporádicas, do que necessariamente para a chegada dos famosos “pacotões”, a aposta na base é bastante considerável desde que não ocorra vendas como no início do ano de 2017, onde o presidente optou por fazer caixa com negociações de atletas promissores e interferiu diretamente no projeto de Rogério Ceni. O SPFC possui um treinador que já deu mostras em outros clubes que sabe como trabalhar jovens e esta pode ser grande sacada para 2018.

O torcedor aflito por conquistas precisará ter paciência nesse ano, pois já vimos a chegada de “pacotões” e estes pouco fizeram pelo SPFC, 2018 está apenas começando e dessa talvez precisaremos acreditar na nossa matéria prima, na base que já formou muitos heróis tricolores e que fora multicampeã nos anos anteriores. Podemos pensar em contratações milionárias, sim, mas se não der certo, jogaremos mais um ano no lixo e as dívidas irão apenas aumentar.

 

Advertisements
Roger Marques

Roger Marques

São Paulino que não sabe bater pênalti, mas que sabe como ajudar na briga!

Deixe uma resposta