Advertisements

Sem pressão

Shaylon atua bem e participa dos gols do São Paulo

Saudações Nação Tricolor! O Mais Querido foi a campo para atuar pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. Diante do Coritiba no Couto Pereira, o Tricolor tinha como objetivo terminar o campeonato nacional da melhor forma possível, bem como garantir a equipe na Sul-americana de 2018. Com 46 pontos na tabela de classificação SEM PRESSÂO e já sem risco de rebaixamento, o São Paulo teria que enfrentar um adversário que está vivendo a mesma situação de algumas rodadas anteriores do Mais Querido. Com os desfalques de Petros suspenso por cartão, Lucas Pratto e Hernanes que sentiram lesão, Dorival optou por montar um time com muitos jogadores da base. O treinador montou assim a equipe titular: Sidão; Éder Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Araruna e Shaylon; Cueva, Marcos Guilherme e Brenner. A formação tática se manteve a mesma de sempre, o 4-5-1.

A PARTIDA

O Coritiba jogava em casa e precisava desesperadamente vencer, o time da casa tinha a obrigação de sair para o jogo em busca dos três pontos. Mais tranquilo e mais leve, o São Paulo se mostrou mais perigoso e logos ao 5′ teve uma excelente chance de marcar. Wilson tentou sair jogando e Brenner ligado conseguiu roubar a bola do zagueiro. Na finalização a bola desviou no marcador e foi pela linha de fundo. O Tricolor trabalhava a bola com qualidade no campo ofensivo, Cueva e shaylon conseguiam manter a posse com bons toques, e aos 14′ Edimar disparou uma bomba de fora da área para boa defesa de Wilson. O Coritiba só conseguiu chegar pela primeira vez aos 18′, quando em uma sobra a bola chegou até Thiago Real. O jogador chutou à meia altura, a rede balançou, mas com a bola pelo lado de fora. O jogo era rápido e o São Paulo chegou com muita rapidez ao ataque, Shaylon tentou chutar de fora da área, a bola desviou na zaga e se apresentou para Brenner. O garoto tentou bater no canto direito de Wilson, que fez um verdadeiro milagre para evitar o gol. Aos 28′, o Coritiba cobrou escanteio e Alan Santos subiu mais que o marcador para cabecear. Sidão mergulhou para espalmar a bola e impedir o tento. A partida era bem jogada, com ambas equipes procurando o gol e correndo muito, até que aos 40′ a arbitragem virou protagonista com um dos lances mais bizarros do futebol brasileiro. A bola foi alçada na área do São Paulo, Edimar e Tiago Real subiram para disputar o lance e o jogador do coxa acertou a bola com a mão. Inexplicavelmente o árbitro Anderson Daronco parou o jogo para marcar penalidade de Edimar, o assistente adicional 2 Eleno Gonzalez Todeschini confirmou o erro para revolta dos são-paulinos. Na cobrança o goleiro Wilson bateu cruzado, longe de Sidão e fez o primeiro gol do Coritiba na partida. Com o primeiro gol o time da casa se animou e veio para cima do Tricolor, aos 47′ Sidão teve trabalho para defender chute rasteiro de Yan em arrancada pela direita. A primeira etapa acabou com um 1 a 0 completamente injusto com erro crasso da arbitragem. 

Ainda parecendo nervoso com o erro do assoprador de apito, o São Paulo tinha dificuldades de trabalhas a bola no segundo tempo. O Coritiba tinha o resultado que interessava para fugir do Z4 e não se expunha a atacar. Marcos Guilherme e Brenner quase não frequentavam o campo de ataque e o jogo que foi de muitas chances no começo agora era truncado e sem nenhuma boa jogada. Aos 12′ Carleto bateu falta de longe e Sidão teve trabalho para espalmar para longe da meta. Aos 20′ Dorival fez a alteração que mudou totalmente o panorama do jogo. Araruna deu lugar para Thomaz e no lance seguinte o prenuncio do empate. O Mais Querido levantou a bola na área pela esquerda. A redonda passou por todo mundo e foi parar do lado direito com Marcos Guilherme. Em um bate-rebate na zaga a bola se apresentou para Shaylon que tentou acertar o canto direito de Wilson. A pelota desviou na zaga e foi para o outro lado, beliscou a trave e saiu em linha de fundo. O próprio Shaylon foi para cobrança de escanteio e no levantamento, Militão subiu mais que todo mundo e testou para o fundo das redes de Wilson empatando o jogo. O tento enervou o Coritiba que começou a errar passes simples e a cometer muitas faltas, em uma dessas infrações o Tricolor virou o jogo. O garoto Shaylon centrou na área, Rodrigo Caio e Galdezani subiram para cabecear, a bola bateu na cabeça do volante e foi contra a própria meta encobrindo Wilson. Jogando com mais frieza o São Paulo poderia ter até ampliado aos 27′, se Daronco e Eleno Gonzales que viram pênalti no primeiro tempo, tivessem visto o agarrão escandaloso de Carleto em Militão. Aos 30′ Dorival fez mais uma alteração, tirando Brenner para entrada de Júnior Tavares e o São Paulo adotou uma postura mais defensiva. O Coxa ainda muito nervoso procurava jogar em busca do empate, mas não encontrava espaço para se aproximar da meta de Sidão. O Tricolor buscava o contragolpe definitivo para garantir a vitória. Aos 47′ Carleto de muito longe arriscou em cobrança de falta, a bola quicou na frente de Sidão que tentou segurar e acabou soltando. Henrique Almeida chegou para tentar o empate, mas o goleiro são-paulino se redimiu afastando com os pés. Ao soar o apito da péssima arbitragem da partida o São Paulo conseguiu superar os erros e venceu longe de casa.

O CRONISTA

O Tricolor já não tinha muito o que fazer no brasileiro. Sem a responsabilidade de ter que vencer Dorival teve a oportunidade de trabalhar o time com jogadores mais jovens. De certo modo o treinador usou a partida contra o Coritiba para testar algumas peças. A equipe que foi a campo hoje tinha Éder Militão, Araruna, Shaylon e Brenner todos formados na base do clube. O time teve leveza e trabalhou muita as jogadas de ataque com paciência, as melhores chances de gol foram criadas pelo São Paulo que até poderia ter saído para o intervalo com pelo menos um gol. Dorival finalmente colocou Thomaz para jogar e o atleta entrou muito bem, ajudando o Mais Querido a reter a bola no campo de ataque. Sempre escrevo que o jogador merece mais chances de atuar, quando esteve em campo foi bem. Shaylon teve muito destaque, além das duas assistências o jogador participou muito no campo ofensivo e ao lado de Cueva foi responsável por toda transição no meio campo. Brenner que teve mais uma oportunidade, teve duas grandes chances de marcar mas parou em Wilson. O garoto pode ser uma boa opção para o ano que vem. Principalmente com as dispensas que deverão ocorrer agora no fim da temporada poderemos ter SANGUE NOVO na equipe. O destaque mais que negativo do jogo fica por conta da arbitragem. O erro cometido contra o São Paulo, foi mais um lance com participação especial do “espantalho de linha de fundo”. Durante todo o nacional os adicionais que não adicionam nada só apareceram para assinalaram faltas contra. Em vários jogos os mesmos ignoraram lances claros a favor do Tricolor dando margem a teoria que quando o time está em má fase até quem deve ser isento escolhe o lado contrário. O último desafio do Mais Querido no ano será no próximo domingo (03), quando ás 17:00 receberá o Bahia no Sacrossanto. O jogo pode até determinar uma vaga na Libertadores dependendo de alguns resultados. É improvável, porém não impossível.

 Pro São Paulo FC Fiant Eximia

Concorda? Não? Deixe Seu comentário de forma educada.

Adriano Carvalho – Twitter  @AdrianoC80    

                                

 

 

Advertisements

Deixe uma resposta