Advertisements

Sequência quebrada

Pratto lamenta chances desperdiçadas no fim do jogo.

Saudações Nação Tricolor! Em pleno feriado o São Paulo foi até o Rio Grande do Sul para disputar contra o Grêmio mais uma partida válida pelo Campeonato Brasileiro. A trigésima quinta rodada, trouxe para a peleja situações distintas entre as equipes. O Mais Querido segue sua luta para se afastar definitivamente da zona da degola e precisava pontuar. A equipe que até sonhou chegar a Libertadores, viu essa possibilidade se afastar e muito após os empates contra Chapecoense e Vasco. Do outro lado, o Grêmio que abandonou o campeonato nacional devido a Libertadores, resolveu escalar a equipe titular contra o Tricolor. Dorival Júnior escolheu Araruna novamente para a vaga de Éder Militão, que estava suspenso pelo cartão vermelho recebido na partida anterior. Na vaga de Cueva, Maicosuel recebeu a oportunidade de começar jogando.  O treinador mandou o seguinte time ao campo: Sidão; Araruna, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros, Hernanes, Marcos Guilherme e Maicosuel; Lucas Pratto. A formação preferida de Dorival também se manteve o 4-5-1.

A PARTIDA

A bola rolou no gramado e o Grêmio imediatamente veio para a pressão. A equipe da casa adiantou as linhas e veio fazer o abafa no campo do São Paulo. Apesar do maior volume de jogo os gremistas não chegavam a criar chances reais de gol, do lado Tricolor muitos erros de passe e muita lentidão para rodar a bola. Aos 14′ o Mais Querido conseguiu chegar pela primeira vez em duas cobranças de escanteio, mas a zaga acabou afastando. Aos 22′ a torcida são-paulina levou um grande susto. Jailson cruzou para área, Edimar subiu para cortar e acabou jogando contra a própria meta. Sidão atento conseguiu segurar firme. O Grêmio dominava o meio campo e não era incomodado em momento algum pelo São Paulo, Hernanes recebia marcação dobrada e não conseguia puxar o contra-ataque. Com a falta de opção ofensiva o Tricolor foi encurralado no campo de defesa e sofrer o gol era questão de tempo, até que o tempo chegou. Aos 33′ O grêmio cobrou escanteio pelo lado esquerdo do ataque, Sidão socou a bola para a entrada da área. Edilson pegou a sobra e foi apertado por Lucas Pratto, o lateral passou para Geromel na direita. Livre, livre, muito livre Geromel carregou a bola para o fundo enquanto Rodrigo Caio pegava um táxi para tentar chegar e cruzou rasteiro. Arboleda tentou cortar, a bola bateu em Kannemann e foi para o fundo do gol. Após sofrer o tento, o Tricolor não mudou de postura e continuou de forma indolente trocando passes da defesa para o  meio campo sem parecer preocupado com o placar adverso. O Grêmio  continuou trocando passes em direção ao gol de Sidão, mas sem finalizar com perigo. O primeiro tempo terminou para alivio do torcedor do Mais Querido que teve que ver apenas um time jogando e não era o São Paulo.

Dorival mexeu ainda no intervalo e para segunda etapa Lucas Fernandes veio para o lugar de Maicosuel. A partida nem tinha chegado a um minuto e Fernandinho carregou a bola desde o meio campo até dentro da área. Na finalização a bola saiu pela linha de fundo. Completamente desligados do jogo os jogadores do Tricolor pareciam apenas espectadores dentro do campo e viram o Grêmio quase ampliar. Aos 10′ os donos da casa chegaram com facilidade pelo lado direito, Edílson chutou e Sidão espalmou para dentro da área. No rebote Ramiro com liberdade bateu firme para outra defesa de Sidão que mandou para escanteio. Aos 16′ foi a vez de Cortez passar com facilidade por Araruna que ficou no chão, no cruzamento Rodrigo Caio cortou providencialmente pela linha de fundo. Aos 24′ o treinador adversário fez duas alterações, enquanto Dorival tirou Petros para entrada de Júnior Tavares (isso mesmo!). As alterações mudaram a partida e o Grêmio recuou totalmente para aposta no contragolpe. Aos 27′ O São Paulo chegou ao empate no primeiro chute que acertou em toda partida. Pratto recebeu, avançou e bateu firme, Marcelo Grohe (primeira vez que cito o nome do arqueiro) não conseguiu defender a bola. O assistente Bruno Boschilia assinalou impedimento do camisa nove que para mim estava na mesma linha dos zagueiros. Aos 33′ Araruna saiu e Gilberto foi para o tudo ou nada. Apesar da “armadilha” preparada pelo Grêmio o São Paulo conseguia ficar no campo de ataque sem sofrer nenhum contra-ataque. O Mais Querido foi conseguindo mesmo que de forma desorganizada criar o que não havia feito ainda na partida. Primeiro Júnior Tavares lançou para a área e Lucas Fernandes apareceu para cabecear fraco e no meio do gol. Grohe pegou com facilidade. Depois, em um bate-rebate a bola acabou sobrando com Pratto, o argentino perdeu o tempo da bola e na saída do goleiro mandou para fora. Nos acréscimos Pratto teve mais uma chance de deixar tudo igual. Eram jogados 47′ quando o hermano recebeu de frente para o gol, mas na finalização abaixou a cabeça e não viu a saída de Grohe. A bola foi no peito do arqueiro que fez grande defesa. aos 48′ o  árbitro Rodolpho Toski Marques assoprou o apito pela última vez, decretando mais uma derrota do São Paulo. 

PASSANDO RAIVA

O torcedor que esteve aflito durante todo o campeonato, teve um alivio  ao ver a equipe conseguir vencer jogos importantes e subir na tabela de classificação. Até de uma forma inocente, o são-paulino chegou a acreditar em uma possível briga por uma vaga na Libertadores do ano que vem. Após a terceira vitória consecutiva, a impressão era que o elenco tinha encontrado um futebol no mínimo decente para terminar a competição de uma forma mais digna. Toda essa impressão acabou se esvaindo nos últimos dois jogos. Contra o Grêmio o São Paulo parecia estar jogando para cumprir tabela, sem objetivos, sem nada a alcançar. Os 47 pontos tão martelados como um mantra a cada partida, não parecem mais importantes, o time literalmente parece ter relaxado antes da hora. Ainda no primeiro tempo era claro a postura remissa, ao ponto de em uma jogada no meio campo o jogador gremista ficar alguns segundo com o pé sobre a bola esperando marcação e ninguém encostar.  É preciso alertar os atletas que o Mais Querido ainda não escapou matematicamente do Z4 e precisa fazê-lo o quanto antes. Assim como a atuação contra o Vasco no último domingo, hoje o Tricolor esteve desatento, desligado, desinteressado no jogo. A equipe só conseguiu jogar de fato, quando o Grêmio optou por recuar e esperar uma jogada rápida para matar a partida.  Se o torcedor acreditou por um momento em algo melhor para terminar um ano tão horrível, parece que o elenco nunca pensou assim. 

ENCERRO

Com mais uma derrota, o Mais Querido estaciona nos 45 pontos e pode terminar esse rodada na 11ª colocação podendo ser ultrapassado pela Chapecoense que ainda joga amanhã contra o Vitória. Ainda com três rodadas para acontecer, está na hora dos jogadores atingirem a tão falada meta para  finalmente falarmos em  2018. O próximo compromisso do Tricolor será domingo (19) às 17:00, quando receberá o Botafogo no Pacaembu.        

Pro São Paulo FC Fiant Eximia

Concorda? Não? Deixe Seu comentário de forma educada.

Adriano Carvalho – Twitter  @AdrianoC80    

Advertisements

Deixe uma resposta