Advertisements

Acabou o gás? Está com ou sem pressão?

Sem ter acompanhado o último jogo, concentro a coluna de hoje em reavaliarmos nossas expectativas. Sempre foi muito claro pra todos nós que a campanha surpreendia, que estávamos acima do que qualquer um apostaria no começo do ano. O rebaixamento têm nos assustado há algumas temporadas. Esse ano, subimos degraus além das últimas campanhas. A subida em alta velocidade nos empolgou e acreditamos no título – pode até vir ainda – porém, estamos há alguns jogos sem apresentar um futebol razoável para brigar por título e a raça a cada lance que despertou a confiança da torcida.

O time começou a esmorecer a cada gol sofrido e aquela sensação que tínhamos naquele momento pós-Copa de que o time empataria ou viraria um jogo pela vontade que apresentava, não tem acontecido mais. Não sabemos se há algum racha no grupo, problemas administrativos, mas, a clara sensação é da piada que viramos alvo: o refrigerante de 3 litros que, no meio, acaba o gás.

Mais um confronto direto no próximo final de semana, que venha o Internacional, mas, o nosso confronto agora é com a manutenção de Sidão no gol e o abatimento da equipe em campo para se manter na zona de classificação para a Libertadores.

(Foto: Divulgação)

É inevitável não levantar a questão do São Paulo ter Arboleda na equipe, deixá-lo no banco e a associação direta da volta de Rodrigo Caio com a queda na tabela. Nem sou um dos críticos fervorosos do zagueiro, mas, a forma simultânea como os dois momentos se deram coloca desconfiança na torcida e a pressão ainda maior que prejudica ainda mais o resultado e o desempenho.

Advertisements
Diego Machado

Diego Machado

Locutor, jornalista, mestre de cerimônias. Autor do livro 'Nem Tudo é Poesia. Ou é?'. Sambista/ cavaquinhista (horas vagas)

Deixe uma resposta