Advertisements

No ‘Bola da Vez’, Raí fala do desafio como dirigente, explica projeto e cita: “O São Paulo perdeu a identidade, precisa resgatar isso”

(Foto: Reprodução | ESPN Brasil)

O diretor de futebol do São Paulo, Raí, foi o ‘Bola da Vez’ da ESPN Brasil nesta terça-feira (10), o ídolo são-paulino respondeu sobre diversos assuntos, começando pela atualidade, passando pela sua época de jogador e finalizando com mais temas recentes, porém gerais como seleção brasileira.

Projeto

O primeiro assunto foi sobre o Raí diretor de futebol, e ele relatou que muita gente achava que ele não deveria aceitar assumir um cargo de dirigente, pelo passado como jogador, ídolo, mas Raí disse que já fazia parte do Conselho de Administração, portanto estava próximo do clube, e que com as modernizações na gestão, novo estatuto, acreditou no projeto, mas deixou claro que é um executivo contratado pelo clube e não participante político, inclusive negou que tenha interesse de ser presidente.

Apesar de tudo, Raí disse que o convite do São Paulo lhe pegou de surpresa, e frisou que o seu trabalho é para ter resultados maiores a médio e longo prazo, deu a entender que isso está alinhado com os mandatários.

Outro ponto importante sobre ter aceitado esse desafio, Raí disse que na vida é preciso ter coragem para alcançar alguns resultados e foi por isso que aceitou esse desafio no São Paulo.

Identidade

“O São Paulo perdeu a identidade, precisa resgatar isso”, disse Raí. O diretor são-paulino concordou com o questionamento sobre identidade perdida nos últimos tempos e o fato dos clubes terem passado o São Paulo em vários setores, mas disse que estão trabalhando para seguirem em evolução, e deixou alguns casos como a modernização do Morumbi para a diretoria responsável.

Plano de Raí para o São Paulo inclui construir uma identidade e trocar menos de jogadores e técnicos

Primeiras notícias

Raí que já tinha revelado que foi pego de surpresa com o convite para ser diretor, ainda revelou que as primeiras notícias que ele (Raí) recebeu ao assumir o SPFC é que Hernanes voltaria para a China e que Pratto queria ir para a Argentina, ou seja, já teria dois grandes desafios logo de cara…

Lucas Pratto

“Ele não deu chance”, Raí explicando sobre a tentativa de manter Lucas Pratto no São Paulo, mas tratou de elogiar o argentino e disse que os motivos para ele sair eram fortes.

Manutenção do Dorival

Outro assunto que foi decidido neste curto período em que ele assumiu, foi a permanência do Dorival para 2018, e Raí elogiou que elogiou bastante Dorival, disse que gosta do trabalho dele, por isso seguiu com ele para 2018, mas as coisas não encaminharam como o esperado no início da temporada.

Aguirre

“Quem trouxe o Aguirre foi o Lugano!”, e Raí ainda revelou que antes analisaram vários nomes, mas que ele já admirava o uruguaio e frisou que considera Aguirre um treinador que pensa fora da ‘caixinha’, portanto foi unanime traze-lo!

Ainda relatou que viu algumas injustiças com Aguirre nos trabalhos que ele realizou no Brasil.

Recado aos jogadores

Um recado importante do diretor de futebol foi sobre o foco dos jogadores para atuar no clube: “Não basta ser um bom jogador, cumprir seu compromisso nos treinos, precisa de algo a mais, não é só técnica, precisa ter alma”, e apesar de falarem bastante sobre Cueva e Diego Souza, o diretor disse que ambos estão focados e que conta com eles, então nada de recado?

Elenco e Libertadores

Em seguida fez questão de elogiar o elenco são-paulino para 2018: “Nós temos um elenco forte, o São Paulo precisa voltar para a Libertadores, temos um elenco forte pensando na temporada, que está se reforçando ainda… Temos um grupo, não um time apenas.”

O diretor de futebol não quis fazer promessas de título, disse que não seria justo, mas que a meta é brigar pela Libertadores, apesar dele deixar claro que para ele é possível tentar algo mais!

Vendas

Raí falou que nesta janela deve chegar propostas de fora para atletas são-paulinos e que vai ter que vender alguns, mas “sem mexer nesse elenco”, deu a entender que o elenco já está preparado para essas possíveis saídas, e explicou que os clubes brasileiros contam com dinheiro de vendas para fechar o caixa no ano, então é difícil que algum atleta não saia.

Outros assuntos

Raí lembrou período como jogador, elogiou treino de repetição (fundamentos) do Telê Santana, falou sobre os dois gols contra o Barcelona

Outro tema que ele falou sobre Copa do Mundo de 1994, lembrou sobre ele ter sido o capitão de 91 até o primeiro jogo da Copa, que esperava ir em outra Copa, a expectativa era em 1998, mas lamentou que coisas não deram certo.

Trecho do Raí no ‘Bola da Vez’:

Advertisements
Fábio Martins

Fábio Martins

Estudante de jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe uma resposta